Bonga Mac: referência do grafitti nacional fez parte do 1º Festival de Arte e Cultura de Caieiras.

Artista caieirense é reconhecido no Brasil e no exterior por sua arte.

Um dos nomes mais importantes e respeitados do grafitti nacional, Donizete de Souza Lima, o Bonga, mora em Caieiras há mais de trinta anos e já expôs sua arte em vários estados brasileiros e em países como o Equador, Chile, Bélgica, Canadá, França e Itália, sempre tendo como tema questões sociais, étnicas e culturais.

Cumprindo o objetivo de valorizar a diversidade cultural do município, a Secretaria da Ação Cultural, sob o comando do secretário Fabrício Calandrini, convidou-o para representar o grafitti no 1º Festival de Arte e Cultura de Caieiras (FEAC), um grande evento que contou com atrações de vários segmentos e foi realizado entre os dias 21 e 30 de novembro em diversos pontos da Cidade dos Pinheirais.

“Fiquei muito lisonjeado pelo convite. É mais uma linguagem que está sendo respeitada dentro do movimento de cultura da cidade. É um momento de transição importante, pois agora vivemos um novo processo de construção da diversidade cultural da cidade, o que se torna significativo para termos, no futuro, uma identidade cultural do município. “, falou Bonga.

O grafiteiro e arte-educador expôs suas telas nos dois primeiros dias do Festival e realizou o “grafitti live paint” no dia do Rock, quando a banda Velhas Virgens se apresentou no PEC. Segundo Bonga, as caveiras pintadas nesse dia foram uma homenagem ao movimento, que tem esses objetos como símbolos bastante característicos.

Já no dia 30, último dia do FEAC, ao lado de alguns artistas da região como Guetus, de Perus, Tioch, da Vila Brasilândia e Borgo, de Pirituba e do nova-iorquino Phes, Bonga realizou um grande painel coletivo retratando a conexão São Paulo-Nova York de maneira surreal.

“O graffiti é uma linguagem das ruas, é uma forma de intervenção, de estar dentro do cotidiano da cidade e ele se faz presente em meio ao caos, em meio a urbanidade”, explicou o artista.

Para o secretário da Ação Cultural, Fabrício Caladrini, a participação do Bonga no 1º Festitval “muito nos honrou, pois ele é uma referência para o movimento grafitti nacional e reconhecido fora de nosso país. O FEAC teve exatamente esse propósito: valorizar a cultura e os artistas caieirenses, estabelecendo um contato mais próximo com todos eles”.

Fotos: AIPMC

Fonte: AIPMC

Próximo Post:
Post Anterior:
Este artigo foi publicado por
Website: O Caieirense

Site de informação e conteúdo regional da cidade de Caieiras/SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *